STJ adia julgamento de habeas corpus de Lula para 6 de março

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) informou o adiamento do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado no caso do triplex do Guarujá, que estava marcado para esta quinta-feira, 1º. O julgamento passou para o dia 6 de março, às 13h.

A alteração da data foi comunicada pelo gabinete do ministro relator do pedido de liberdade, ministro Felix Fischer. O motivo do adiamento não foi esclarecido pela assessoria de imprensa.

Lula foi condenado na 13ª Vara Federal Criminal do Paraná a pena de 9 anos e 6 meses de reclusão, em regime inicial fechado, pela prática dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá. A condenação foi confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em 24 de janeiro, e a pena, ampliada para 12 anos e 1 mês de reclusão. O tribunal determinou que a pena seja executada após a conclusão da tramitação no tribunal

Bandidos usaram metralhadora .50 para metralhar carro forte

Uma mega operação das policias militares da Paraíba e do Rio Grande do Norte diligenciou buscas nessa quarta feira (28) na região de fronteira entre os dois estados deviso uma explosão a carro forte que ocorreu nessa manhã entre os municípios de São José do Sabugi e Santa Luzia, tangenciando o município de Ouro Branco.

Enquanto vinte viaturas policiais dos dois estados ganharam a região de caatinga em busca dos bandidos, outras equipas preservavam o local de crime até a chegada da perícia, que veio da capital da Paraíba. Entre outras informações colhidas com a polícia, uma delas aponta para uso de metralhadora P-50 e fuzil cal. 5.56/45.

“Eles atiraram no parabrisas do carro forte, embora blindado, por pouco o tiro não perfurou o vidro e atingiu a nós. Quando o motorista do blindado perdeu o controle do volante, o veículo adentrou o mato, corremos em busca de abrigos, pois vimos o poder de fogo deles. Inicialmente só vimos quatro homens”, contou uma vítima

Homem morto a facadas era de Lagoa Nova

POR BLOG DA PM DE CURRAIS NOVOS – NA MANHÃ DESSA QUARTA-FEIRA (28/02) UM HOMEM IDENTIFICADO COMO JOSÉ NILTON SALES DE 27 ANOS VULGO “PORCÃO” (FOTO), RESIDENTE NA RUA MARIA ETELVINA, CENTRO DE SÃO VICENTE/RN, FOI ATINGIDO POR CUTILADAS DE FACA PEIXEIRA DESFERIDAS POR UM ADOLESCENTE INFRATOR QUE FUGIU EM SEGUIDA.
A VÍTIMA RECEBEU ATENDIMENTO MÉDICO NA UNIDADE DE SAÚDE DE SÃO VICENTE E FOI TRANSFERIDO AS PRESSAS PARA O HOSPITAL REGIONAL DE CURRAIS NOVOS, PORÉM MESMO PASSANDO POR PROCEDIMENTO CIRÚRGICO, ELE NÃO RESISTIU E VEIO A ÓBITO.
O CORPO SE ENCONTRA NO HOSPITAL AGUARDANDO A CHEGADA DO ITEP.
A POLÍCIA MILITAR AGIU RÁPIDA E JÁ APREENDEU O ADOLESCENTE INFRATOR QUE FOI ENCAMINHADO PARA CIDADE DE JUCURUTU ONDE FICOU APREENDIDO A DISPOSIÇÃO DA JUSTIÇA.
PARABÉNS AOS GUERREIROS DAQUELE DESTACAMENTO PELA AGILIDADE QUE CONDUZIRAM A OCORRÊNCIA.

Marinha emite alerta de ressaca no litoral Potiguar nesta quinta

A Marinha do Brasil alerta aos navegantes da área do litoral do Rio Grande do Norte, sobre a previsão de Ressaca com ondas de N 3.0 / 3,5 metros, na área entre as localidades de Natal (RN) e São Luis (MA) a partir de 01/03/18, das 09:00hrs até 03/03/18 às 21:00hrs.

Empresa que vai realizar o concurso da PMRN responde a vários processos em outros estados

Associação de policiais pede suspensão de concurso da PM do RN (Foto: Demis Roussos/Governo do RN)A Associação de Praças da Polícia Militar do Rio Grande do Norte pediu ao Ministério Público a suspensão do concurso previsto pelo Governo para preenchimento de vagas na corporação. O motivo alegado pela associação é que a empresa que vai realizar o certame precisa ser investigada, porque responde a processos na Justiça e está há “somente” dois anos no mercado.
Na representação protocolada na Promotoria do Patrimônio Público, os advogados que assinam o documento dizem que o Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade), empresa organizadora do concurso da polícia, responde a processos em vários estados onde prestou o mesmo serviço, como Pará, Acre, Rondônia, Sergipe, Goiás e Mato Grosso do Sul.
Outro questionamento feito pela Associação de Praças é que o Ibade foi criado como extensão de outra empresa: a Funcab. De acordo com o documento protocolado no MP, o diretor proprietário desta segunda empresa, Sílvio Eduardo Luiz, responde a vários procedimentos investigatórios. O valor pago pelo Governo do Estado para a realização do concurso também é alvo dos questionamentos da Associação: R$ 1,47 milhão, com dispensa de licitação.
Para o advogado Paulo Lopo Saraiva, um dos que assinam o documento, o valor é muito alto e daria pra ter feito o certame com licitação. “A empresa vai receber R$ 1,4 milhão pra fazer apenas uma prova, o restante das etapas do concurso serão feitas pela própria Polícia Militar”, critica.
Atualmente o concurso da PM está suspenso temporariamente pela justiça, que considerou que os cargos devem ser ocupados por candidatos com ensino superior completo, conforme determina uma lei estadual.
Governo alega melhor preço
A Secretaria de Estado de Recursos Humanos (Searh) enviou nota esclarecendo que contatou um total de oito empresas aptas a realizar o certame, das quais seis enviaram proposta. “Das seis empresas, o Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo – IBADE foi a instituição que apresentou o menor preço”, diz a nota. Além disso, a pasta alega que ainda não tomou conhecimento da representação contra a empresa.
MP vai apurar vagas
O Ministério Público do Rio Grande do Norte vai investigar o pequeno número de vagas destinadas às mulheres no concurso da Polícia Militar do estado. Do total de mil oportunidades, apenas 62 são para o sexo feminino. Um inquérito foi aberto pela 68ª Promotoria, especializada em violência doméstica e familiar contra a Mulher.
Para a promotora Érica Verícia Canuto de Oliveira Veras, existe ilegalidade na limitação de oferta de vagas às candidatas do gênero feminino aos quadros de praça da PM. Ela argumenta que isso fere a Constituição e a Convenção Internacional para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher, da qual o Brasil participa.
G1/RN