Estudo abre novos caminhos para o tratamento da depressão

A depressão atinge mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo – entre elas, 11,5 milhões de brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O índice nacional é o maior da América Latina e o segundo maior das Américas – atrás apenas dos Estados Unidos. Enquanto o problema cresce assustadoramente, os tratamentos seguem na contramão: em boa parte dos casos, os remédios simplesmente não fazem efeito.

Na busca por terapias mais eficazes, 200 cientistas colaboraram para identificar quais genes estão mais relacionados com a doença. O novo estudo, liderado pelo Psychiatric Genomics Consortium, da Inglaterra, é a maior investigação mundial sobre a parcela de culpa do DNA nesse transtorno. Para desenvolver novos tratamentos, é preciso entender melhor o que causa a depressão, e encontrar fatores genéticos é uma maneira de fazer isso – pois pode fornecer pistas de como o distúrbio surge. No estudo, foram detectadas 44 mutações genéticas comuns que aumentam o risco da doença – dentre elas, 30 que nunca haviam sido relacionados com a depressão.

Anúncios

Agente penitenciário é preso por facilitar entrada de celulares em presídio de Natal

Uma operação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) prendeu na tarde desta segunda-feira (30), em Natal, um agente penitenciário suspeito de corrupção, associação criminosa e prevaricação imprópria, por receber propina de presas do pavilhão feminino do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte da capital, para facilitar a entrada de aparelhos celulares e outros objetos na unidade prisional.

Além do agente penitenciário, foi preso na mesma ação outro suspeito, que é condenado por envolvimento no assassinato de um advogado no banheiro de um bar na Zona Oeste de Natal. O detento cumpria pena no regime semiaberto e trabalhava em uma obra de reforma no Complexo João Chaves. Pelo o que foi apurado, ele entregava os aparelhos de telefone celular adquiridos pelo agente penitenciário às internas do presídio.

Carro forte foi explodido próximo a Mossoró

Criminosos fortemente armados explodiram na manhã desta segunda feira 30 de abrili de 2018, um carro forte pertencente a empresa Prosseguir na BR 304 entre as cidades de Mossoró e Assu no Rio Grande do Norte.
A ação criminosa ocorreu entre o Sítio Hipólito e o Posto Zé da Volta.
O caso foi confirmado pela Polícia Rodoviária Federal e aconteceu no quilômetro 81 da BR-304, próximo ao limite com o município de Mossoró. Os assaltantes levaram o dinheiro que estava sendo transportado no veículo. Nenhum vigilante ficou ferido.
De acordo com a PRF, o crime aconteceu por volta das 9h30. Seis homens fortemente armados interceptaram o carro forte, forçaram a parada do veículo e renderam os vigilantes. Além de levarem todo o dinheiro que era transportado, eles acionaram explosivos que destruíram o carro.
Ainda de acordo com a PRF, os assaltantes fugiram em um carro modelo EcoSport branco o mesmo usado na interceptação.
A polícia não descarta que outro veículo tenha sido usado no apoio aos criminosos.
O Corpo de Bombeiros foi acionado ao local para controlar o fogo e a polícia faz as primeiras buscas na região.
Passando na hora