VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE CURRAIS NOVOS SEGUE INTENSIFICANDO AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO

Durante todo o final de semana, as equipes da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde; do Setor de Endemias; e de outras Secretarias do município de Currais Novos, com o apoio dos policiais militares do Núcleo de Prevenção da 3ª CIPM, realizaram rondas para fiscalizar o cumprimento do decreto que está em vigor.

Essa ação conjunta, que vem sendo realizada diariamente e não só aos finais de semana, tem como objetivo maior minimizar os riscos de contágio da Covid-19 no município e conscientizar a população sobre a importância de que cada um precisa fazer sua parte para que possamos vencer o vírus.

Visitas foram realizadas em estabelecimentos comerciais, bares e restaurantes, inclusive já autuando alguns comerciantes que insistem no não cumprimento do novo decreto municipal que entrou em vigor no último dia 29.

De acordo com Izabel Medeiros, que coordena a força tarefa da Vigilância em Saúde no município, a maior preocupação continua sendo as aglomerações de pessoas em alguns lugares. “Estamos ampliando esse trabalho de fiscalização e autuando quem insistir no não cumprimento das medidas e protocolos do novo decreto. Infelizmente, nosso sistema de saúde está sobrecarregado e medidas mais duras e restritivas estão sendo tomadas, não só aqui em Currais Novos, mas em outros municípios”, comenta Izabel Medeiros.

Mais uma vez, a Gestão Municipal pede o apoio da população. “Estamos enfrentando o pior momento da pandemia. Nossas equipes e profissionais da Saúde estão exaustas e nosso sistema está sobrecarregado. Nosso maior desafio neste momento tem sido salvar vidas, por isso precisamos do apoio e compreensão de toda a população para continuarmos seguindo as orientações sanitárias e evitando, principalmente, as aglomerações. Somente assim, poderemos diminuir o índice de transmissibilidade da doença, enquanto não conseguimos vacinar toda a população”, afirma o Prefeito Odon Júnior.

por Caboré Locações Publicado em Notícias

POLICIAIS SOFRERAM AO MENOS 200 ATAQUES A TIRO EM AÇÃO NO JACAREZINHO, APONTA LAUDO

Um relatório reservado da polícia fluminense apontou que os policiais civis que participaram da operação na favela do Jacarezinho sofreram pelo menos 200 ataques de criminosos. Segundo o estudo, os ataques a tiros teriam acontecido em mais de 60 pontos diferentes da comunidade. A operação realizada em 6 de maio resultou na morte de 28 pessoas, sendo 27 suspeitos de ligação com o tráfico de drogas e um membro da Polícia Civil, e é considerada a ação mais letal da história do Rio de Janeiro.

Os agentes de segurança afirmam que foram atacados e responderam à ação criminosa. De acordo com eles, não aconteceram execuções sumárias, como relatam moradores e testemunhas. A polícia fluminense decretou sigilo sob as investigações por prazo de cinco anos. Isso está sendo questionado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. A polícia alega que um eventual vazamento de informações da investigação poderia prejudicar o andamento da apuração.

O MP do Rio, por sua vez, não descarta a possibilidade de ouvir os policiais que participaram da operação e acionar a Justiça para ter acesso detalhado às investigações da ação. O Ministério Público também segue uma apuração autônoma e independente para apurar o caso. O sigilo sob as operações da polícia vale também para todas as intervenções que aconteceram durante a pandemia de Covid-19, especialmente após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de regra a atuação em áreas carentes, favelas e comunidades. Foram mais de 500 operações desde meados do ano passado, sendo que o próprio MP já abriu mais de 40 investigações. Nenhuma delas foi finalizada até o momento.

Jovem Pan

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Copa América: em reviravolta, Conmebol decide sediar torneio no Brasil; Arena das Dunas em Natal (RN) é apontada como uma das sedes

O Brasil é o novo país-sede da Copa América. Após reunião emergencial nesta segunda-feira, a Conmebol decidiu por transferir para cá a realização do torneio, que seria inicialmente na Colômbia e na Argentina.

Pesou a favor do Brasil a expertise da organização da última Copa América, em 2019 (vencida pela Seleção). Além disso, outro argumento utilizado foi o fato do país ter mais estádios em boas condições para os jogos das equipes nacionais sul-americanas.

De acordo com a confederação, as datas de início e final do torneio estão confirmadas — 11 de junho e 10 de julho. As sedes e a tabela de jogos serão confirmados “nas próximas horas”.

Até o início da reunião, a possibilidade de o Brasil organizar o torneio era descartada tanto pela CBF quanto pela Conmebol. Mas ao longo do encontro mencionou-se que o país tem estádios de Copa do Mundo que estão ociosos, como Mané Garrincha em Brasília, Arena da Amazônia, Arena Pernambuco e Arena das Dunas em Natal.

A ideia é colocar um grupo para jogar em Manaus e Brasília, o outro nos dois estádios do Nordeste. O Campeonato Brasileiro não será interrompido.

A Conmebol havia anunciado no domingo que outros países tinham mostrado interesse em abrigar a competição de seleções sul-americanas. Os governos do Equador e da Venezuela enviaram propostas oficiais à Conmebol para receberem os jogos que seriam na Colômbia.

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Brasil registra queda de 11% nos assassinatos no 1º trimestre do ano

O Brasil teve uma queda de 11% nos assassinatos nos três primeiros meses deste ano na comparação com o mesmo período de 2020. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

Em janeiro, fevereiro e março, foram registradas 10.663 mortes violentas, contra 12.007 no primeiro trimestre de 2020. Ou seja, 1.344 a menos. Estão contabilizadas no número as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

A queda acontece após um 2020 violento, mesmo com a pandemia do novo coronavírus. No ano passado, o país teve uma alta nos assassinatos após dois anos consecutivos de queda.

Agora, apenas cinco estados contabilizam uma alta: três no Nordeste (Maranhão, Paraíba e Piauí) e dois no Norte (Pará e Roraima).

Os dados apontam que:

houve 10.663 assassinatos no 1º trimestre, 1.344 mortes a menos que no mesmo período de 2020

apenas 5 estados registraram uma alta nas mortes

Roraima teve o maior aumento nos crimes: 19%

Distrito Federal registrou a maior queda: -37%

O levantamento, que compila os dados mês a mês, faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O que dizem os especialistas

Para Bruno Paes Manso, do NEV-USP, as variações circunstanciais levantadas pelo Monitor da Violência servem mais para levantar perguntas do que para indicar respostas.

“Será que a tendência de queda vai permanecer ou vai ficar restrita ao primeiro trimestre? Não custa lembrar que esse trimestre está sendo comparado com dois meses do ano passado que não registraram epidemia. Em compensação, no ano passado, apesar da pandemia, os homicídios cresceram. Os governos estaduais tiveram algum tipo de iniciativa importante? Por que, apesar do aumento de armas em circulação, essa redução foi identificada?”

Segundo ele, três meses é pouco tempo para identificar uma tendência. “Caso a curva permaneça em queda, será uma boa notícia que ainda exigirá debate e reflexão para identificarmos as causas.”

Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, afirma que a redução dos assassinatos no 1º trimestre de 2021 é notícia a ser comemorada, mas ressalva que ainda é cedo para avaliar se há, de fato, uma tendência.

“Os homicídios vinham crescendo até janeiro deste ano e fevereiro do ano passado foi marcado por um enorme volume de homicídios em decorrência da greve da PM no Ceará. Temos que acompanhar estes números de perto para compreender quais os determinantes para a redução das mortes violentas nos últimos dois meses, bem como compreender o impacto da pandemia nas dinâmicas criminais.”

Índice nacional de homicídios

A ferramenta criada pelo G1 permite o acompanhamento dos dados de vítimas de crimes violentos mês a mês no país. Estão contabilizadas as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Juntos, estes casos compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais.

Jornalistas do G1 espalhados pelo país solicitam os dados, via assessoria de imprensa e via Lei de Acesso à Informação, seguindo o padrão metodológico utilizado pelo fórum no Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

O governo federal anunciou a criação de um sistema similar ainda na gestão do ex-ministro Sergio Moro. Mas os dados não estão tão atualizados quanto os da ferramenta do G1.

Os dados coletados mês a mês pelo G1 não incluem as mortes em decorrência de intervenção policial. Isso porque há uma dificuldade maior em obter esses dados em tempo real e de forma sistemática com os governos estaduais. O balanço fechado do ano de 2020 foi publicado no mês passado. Os números deste ano serão divulgados posteriormente.

G1

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Dois homens foram executados em Sítio Novo

O final da noite dessa sexta-feira (28/05) foi sangrenta na cidade de Sítio Novo/RN, onde aconteceu um duplo homicídio, tendo como vítimas um popular conhecido por “CHÁ PRETO” e o outro como”EDILSON PIRIQUITO”, ambos estavam na mesma residência na hora dos assassinatos.Segundo relatos de populares os dois se encontravam na residência quando foram surpreendidos pelos assassinos que foram prontos para eliminar, mas que recaem suspeitas de que o alvo principal seria o “VÍTOR”, que é filho do Chá Preto e considerado o N° 1 do SINDICATO DO CRIME.Há forte rumores de que tal ato seria retaliação ou disputa pelo comando do tráfico na cidade e que o VÍTOR teria sido baleado, mas conseguiu se evadir do local, já que a residência fica às margens da RN-093, local conhecido como Barra dos Amaros, com uma vegetação muito densa nos fundos da casa.A Polícia Militar já se encontra no local fazendo o isolamento e levantamentos preliminares, aguardando à chegada da equipe do ITEP/RN para perícias e remoção dos corpos que passarão por perícias na sede do ITEP na Capital, quando poderá se precisar quantos disparos acertaram em cada um.FONTE: JOGO DO PODER RN

por Caboré Locações Publicado em Notícias