PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM PARALISAM ATIVIDADES NO RN POR 24H

Os profissionais em enfermagem vão paralisar suas atividades, nesta quarta-feira (21), no Rio Grande do Norte e em todo o Brasil. Uma manifestação pela manutenção do piso da categoria está prevista para às 9 horas, na Praça 7 de Setembro, em Cidade Alta. Antes aprovada, a lei que garantia um novo valor a ser pago aos trabalhadores foi suspensa pelo ministro do Supreto Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.

O julgamento no Supremo Tribunal Federal foi votado na sexta-feira (16) e obteve a maioria necessária dos votos para sua suspensão da legislação. O relator, Roberto Barroso, foi acompanhado pelos ministros Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Luiz Fux no voto para suspender a remuneração mínima nacional. Votaram contra a suspensão André Mendonça, Nunes Marques e Edson Fachin.

A recém-criada Lei nº 14.434 estipula um salário mínimo nacional de R$ 4.750 para enfermeiros, 70% desse valor para técnicos e 50% para parteiras e auxiliares de enfermagem.

Mobilização

Em nota, o Fórum Nacional da Enfermagem explica a paralisação de advertência: “A orientação das entidades que integram o Fórum é que a paralisação seja pelo período de 24 horas. Os profissionais que não conseguirem fazer a paralisação durante todo o dia, que realizem, ao menos, em períodos do dia; foi proposto que a partir do dia 21 de setembro, os profissionais vão promover vigílias constantes e montar acampamentos permanentes em local a ser definido pelas entidades sindicais regionais. É importante ressaltar que os atendimentos de urgência/emergência serão mantidos, de modo a não causar qualquer tipo de falta de assistência aos pacientes”.

A categoria cobra que o Congresso Nacional aprove as fontes de financiamento para o pagamento do novo piso.

Como os trabalhadores vão atuar durante a paralisação no Rio Grande do Norte?

Segundo o Sindsaúde, todos os profissionais da enfermagem podem paralisar os serviços. Porém, é preciso manter na unidade o percentual de 30% estabelecido por Lei. Da mesma forma funcionam os serviços 24 horas, em hospitais e urgências. Nas unidades básicas que param 100%, todos os serviços devem ficar fechados.

Decisão da categoria

A enfermeira, Indira Araújo, em assembleia unificada da enfermagem, em Natal, realizada na manhã de quarta-feira (14) estava indignada e defendeu a luta imediata pelo piso. “Chega de uma enfermagem pacífica, já dialogamos por mais de 30 anos”.

Cerca de 400 trabalhadores e trabalhadoras da enfermagem lotaram o auditório do Sinpol na capital potiguar e aprovaram o estado de greve e a participação do Dia Nacional de Paralisação da Enfermagem, no dia 21 de setembro.

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Deixe seu comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s