VIGILÂNCIA SANITÁRIA REALIZA PIT STOP NO CENTRO DA CIDADE

A Secretaria Municipal de Saúde de Currais Novos, por meio do Setor de Vigilância Sanitária e em parceria com o Núcleo de Prevenção da Polícia Militar, realizou na manhã desta quinta-feira (04) um pit stop com a distribuição de hipoclorito de sódio para a população, utilizado para a purificação caseira da água para o consumo humano.

O objetivo da ação foi diminuir o impacto de doenças causadas por vírus, parasitas e bactérias. A água purificada com hipoclorito de sódio serve para lavar louças, beber, tomar banho, cozinhar, lavar frutas, legumes e hortaliças. O hipoclorito de sódio, quando usados dentro das recomendações, é seguro para a saúde e a água tratada com ele pode ser oferecida a bebês e crianças.

Para cada botijão de 20 litros de água deve-se utilizar 1 colher de chá de hipoclorito de sódio. O produto serve para livrar a água de bactérias que causam doenças de transmissão hídrica, incluindo a diarreia. O hipoclorito também previne a transmissão da cólera.

A higienização de frutas, legumes, folhosos deve ser feito para cada 1 litro de água adicionar 1 colher de sopa do hipoclorito de sódio.

Quem desejar receber hipoclorito de sódio deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu bairro ou a Vigilância Sanitária de Currais novos, localizada na Rua Dix-Sept Rosado, ao lado da casa Irmã Ananília.

por Caboré Locações Publicado em Notícias

CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO EM CURRAIS NOVOS PARA ESTA QUINTA-FEIRA, DIA 04

D1 para pessoas com 18 anos ou mais (coronavac);

D1 para adolescentes com 12 a 17 anos (Pfizer);

D2 para pessoas que tomaram a primeira dose da Pfizer até o dia 02/09 e para pessoas que tomaram a primeira dose de Coronavac até dia 07/10;

D2 para pessoas que tomaram a 1ª dose de Oxford no município e que estão em atraso para a segunda dose podem se dirigir aos pontos de vacinação;

D3: para pessoas com 60 ou mais que já tenham completado o esquema vacinal com duas doses de qualquer imunizante (coronavac, Oxford ou pfizer) há pelo menos 5 meses estão aptas para a receber a terceira dose;

D3 para profissionais de saúde do setor público e privado que já tenham completado o esquema vacinal com duas doses ou única de qualquer imunizante (coronavac, Oxford ou pfizer) há pelo menos 6 meses da D2-D3 estão aptas para a receber a terceira dose;

D3 para imunossuprimidos, o intervalo para a dose de reforço deverá ser de 28 dias após a última dose;

Fique atento aos documentos comprobatórios, ponto de vacinação e horário.

Vacinas salvam vidas!

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Justiça Federal vai reabrir caso da facada em Bolsonaro

Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, vai reabrir o caso Adélio Bispo de Oliveira, afirmou o advogado Frederick Wassef ao Metrópoles. Adélio é o autor da facada que o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro sofreu em 2018, durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

À reportagem, Wassef classificou a medida como “uma vitória do Brasil e da democracia”. Segundo ele, todas as evidências coletadas pela Polícia Federal (PF) desde o atentado e novas informações poderão ser usadas na reabertura do caso.

Adélio foi indiciado pela PF pelo crime de “atentado pessoal por inconformismo político” com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional. Ele é detento da Penitenciária Federal de Campo Grande.

O artigo da LSN diz o seguinte: “Devastar, saquear, extorquir, roubar, seqüestrar, manter em cárcere privado, incendiar, depredar, provocar explosão, praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas. Pena: reclusão, de 3 a 10 anos.”

O atentado à faca ocorreu em 6 de setembro de 2018, durante uma caminhada que Bolsonaro realizava com apoiadores de sua campanha, em Juiz de Fora. O então presidenciável foi atingido na região do abdômen, enquanto era carregado por um simpatizante.

Metrópoles

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Kelps diz que não liberação de emendas é represália do Governo à CPI da COVID-19

Questionando o não pagamento das emendas parlamentares por parte do Governo do Estado, o deputado Kelps Lima (SDD) declarou nesta quarta-feira (3), em pronunciamento na Assembleia Legislativa, que o posicionamento do Executivo é uma retaliação à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as ações do Governo voltadas à pandemia do novo Coronavírus.
 
“As emendas parlamentares não estão sendo pagas aos municípios potiguares por represália à CPI da COVID-19. Não tenho dúvida alguma. A governadora, através do líder do Governo na Casa, pediu aos deputados que enviassem as suas prioridades a serem pagas – e ele foi inclusive muito correto nas conversas conosco. Acontece que o Governo desmoraliza a sua liderança no momento em que fez com que ele empenhasse a sua palavra sem que fosse cumprida”, disse Kelps.
 
Direcionando-se aos munícipes de Apodi, Umarizal, Serra do Mel, Riachuelo, Assú, Macaíba, entre outros, o parlamentar declarou que “o dinheiro das emendas não está nas contas porque o Governo não aceita a CPI da COVID-19. O mesmo acontece em Mossoró, que também sofre perseguição. Cabe à governadora dar explicações a esses municípios”, observou.
 
Mesmo alegando represália por parte do Governo, o deputado Kelps Lima, que preside a CPI da COVID-19, assegurou que a comissão não irá se intimidar e que as investigações seguirão. “A governadora Fátima Bezerra prejudica as cidades por cunho politiqueiro, mas a CPI não vai parar por emendas parlamentares”, falou.
 
Em aparte, o deputado Tomba Faria (PSDB) pediu a união dos pares na Assembleia Legislativa em favor da situação. “Precisamos tomar uma providência urgente e parar as pautas do Governo do Estado nessa Casa até que ele pare para conversar conosco”, concluiu.

por Caboré Locações Publicado em Notícias