O NOVO CANGAÇO ATACA NOVAMENTE E CAUSA DESTRUIÇÃO

O ataque de um grupo de cerca de 30 homens a uma transportadora de valores em Guarapuava (PR), na noite de domigo (17), reacendeu o alerta para o chamado ‘novo cangaço’. Desde 2019, ações orquestradas a partir dos mesmos métodos ocorreram em municípios como Araçatuba (SP), Botucatu (SP), Criciúma (SC), Cametá (PA), Salvador (BA) e Guararema (SP).

Acessos estratégicos bloqueados, moradores feitos reféns e utilizados como escudo humano, carros incendiados e trocas de tiros são parte basilar dos planos para esses ataques, que miram cidades de pequeno e médio porte, que têm efetivos policiais reduzidos, expressivamente inferiores aos de grandes capitais.

Ao R7, o professor da FGV (Fundação Getulio Vargas) e especialista em segurança pública, Rafael Alcadipani, comenta que a resposta ao ‘novo cangaço’ passa pelo compartilhamento de inteligência entre as distintas forças policiais que apuram esse tipo de crime.

“Isso pode fazer com que se evitem esses crimes. No Brasil, esse compartilhamento é muito ruim, não acontece como deveria”, avalia o professor.

R7

por Caboré Locações Publicado em Notícias

Deixe seu comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s